Pelo fim definitivo do Horário de Verão!

13.2.14
Estamos comemorando o fim do Horário de Verão, ainda que momentaneamente, o que acontece na noite de sábado (15), para domingo (16), quando todos os relógios devem ser atrasados em uma hora. Portanto, quem mora em Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul ou Distrito Federal pode começar a se despedir do Horário de Verão, em vigor desde outubro do ano passado.

Mas queremos comemorar, em breve, o fim de vez desse horário que traz mais malefícios do que benefícios para o povo brasileiro. Tanto é verdade que somos a favor do Projeto de Lei 4.548/12, de autoria do deputado federal goiano Heuler Cruvinel (PSD), que exclui o Estado de Goiás da região onde vigora o horário de verão, e foi pensado o Projeto de Lei nº 397/07, que propõe a sua extinção em todo o País.

Entendemos que não apenas a iniciativa do parlamentar de Goiás, mas todos os projetos que tratam dessa questão, no Congresso Nacional, são oportunos e interessantes. A questão desses horários é muito maléfica, principalmente no caso do transporte escolar de estudantes da zona rural, que muitas vezes têm de caminhar no escuro até o ponto de ônibus. Aliás, como médico, posso atestar que as alterações no relógio biológico das crianças acabam por interferir negativamente no desempenho escolar delas.

Confesso que já aventamos a possibilidade de alterar o horário para 30 minutos, em vez de uma hora, como um paliativo para minimizar os impactos gerados pelo adiantamento dos relógios, mas nossa preferência é pela exclusão integral do Horário de Verão. A completa extinção seria a melhor medida. E, pelo que sabemos, se Goiás for excluído, o impacto na economia de energia, em nível nacional, será muito pequeno.

Na Câmara dos Deputados, três projetos pretendem abolir o Horário de Verão do Brasil. A justificativa apresentada é que os benefícios com a redução da carga máxima de energia elétrica em horário de pico não atingem a maior parte dos cidadãos, enquanto que os prejuízos à saúde e à segurança pública afetam principalmente pessoas que precisam acordar cedo e ir à escola ou ao trabalho enquanto as ruas ainda estão escuras.

No Brasil não há, ainda, estatísticas sobre os prejuízos causados pelo desajuste do relógio biológico, mas estudos da Universidade de British Columbia (EUA) dão conta que os acidentes de trânsito aumentam 8% no dia seguinte à implantação ao Horário de Verão. Acreditamos que, em breve, o Brasil suprirá suas deficiências em energia e, assim, não precisará mais do horário de verão.

Helio de Sousa: médico, deputado estadual GO; DM

Postagens

Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »